Avaliação do Usuário

Estrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativaEstrela ativa
 

 

3 - Agora abra e modifique a sua classe HelloAndroid e use o layout XML. Edite o arquivo para ficar assim:

package com.example.helloandroid;

import android.app.Activity;
import android.os.Bundle;

public class HelloAndroid extends Activity {
  /** Chamado quando a atividade é criada pela primeira vez. */
  @Override
  public void onCreate(Bundle savedInstanceState) {
    super.onCreate(savedInstanceState);
    setContentView(R.layout.main);
  }
}

Quando você fizer essa alteração, digite-a manualmente para tentar o recurso de completamento de código. À medida que você começar a digitar "R.layout.main" o plugin irá oferecer-lhe sugestões. Você verá que ele ajuda em um monte de situações.

Em vez de passar setContentView() para um objeto View, você dá a ele uma referência para o recurso de layout. O recurso é identificado como R.layout.main, que é na verdade uma representação de objeto compilado do layout definido em /res/layout/main.xml. O plugin do Eclipse cria automaticamente esta referência para você dentro da classe R.java do projeto. Se você não estiver usando o Eclipse, então a classe R.java será gerada para você quando você executar Ant para construir a aplicação. (Mais sobre a classe R, em um momento.)

Agora execute novamente o aplicativo - porque você criou uma configuração de lançamento, tudo que você precisa fazer é clicar no ícone de seta verde para executar, ou selecione Run > Run History > Android Activity. Com exceção da mudança da sequência de texto TextView, o aplicativo tem a mesma aparência. Depois de tudo, o ponto era mostrar que as duas abordagens layout diferentes produzem resultados idênticos.

Nota: Você pode ter que desbloquear a tela no emulador para ver a sua aplicação - assim como você desbloqueia a tela em um dispositivo. Se você tiver problemas para executar o emulador, consulte Usando o emulador Android (em inglês).

Continue lendo para uma introdução à depuração e um pouco mais de informação sobre o uso de outros IDEs. Quando você estiver pronto para aprender mais, leia Fundamentos de Aplicativos (em inglês) para uma introdução a todos os elementos que fazem o trabalho dos aplicativos Android. Consulte também a página de introdução do Guia do Desenvolvedor (em inglês) para uma visão geral da documentação do Dev Guide.

 

Classe R

No Eclipse, abra o arquivo chamado R.java (na pasta gen/[Generated Java Files]). Deve ser algo assim:

package com.example.helloandroid;

public final class R {
  public static final class attr {
  }
  public static final class drawable {
    public static final int icon=0x7f020000;
  }
  public static final class id {
    public static final int textview=0x7f050000;
  }
  public static final class layout {
    public static final int main=0x7f030000;
  }
  public static final class string {
    public static final int app_name=0x7f040001;
    public static final int hello=0x7f040000;
  }
}

Um arquivo de projeto R.java é um índice para todos os recursos definidos no arquivo. Você pode usar essa classe em seu código-fonte como uma espécie de atalho (short-hand way) para se referir aos recursos que você incluiu em seu projeto. Isto é particularmente poderoso com as características de completamento de código de IDEs como o Eclipse, pois ele permite que você, rapidamente e de forma interativa, possa localizar a referência específica para o que você está procurando.

É possível que seu aspecto seja ligeiramente diferente do que este (talvez os valores hexadecimais sejam diferentes). Por enquanto, observe a classe interna chamada "layout", e seu campo de membro "main". O plugin do Eclipse notou o arquivo de layout XML chamado main.xml e gerou uma classe para ele aqui. À medida que você adicionar outros recursos para seu projeto (como textos no arquivo res/values/string.xml ou desenháveis dentro do diretório res/drawable/), você verá mudanças em R.java para manter-se atualizado.

Quando não estiver usando Eclipse, este arquivo de classe será gerado para você em tempo de compilação (com a ferramenta Ant).

Cuidado: Você nunca deve editar o arquivo manualmente.

Obrigado pelos comentários abaixo e até o próximo artigo!


Seja social. Compartilhe!